Meio bilhão. O grande desafio da CPI da PreviCampos

As sessões na Câmara de Campos voltou nesta quarta-feira (07) depois do período de recesso, e na primeira, um tema no mínimo nebuloso estará em pauta, a propositura da abertura de mais uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), dessa vez da PreviCampos, para apurar cerca de MEIO BILHÃO (R$ 500 milhões) de desvio sem que haja clareza de como e para onde foi esse valor do servidor municipal.

O caixa da Previdência chegou a ter a expressiva quantia de R$ 1,3 bilhão em dezembro de 2015, ou seja, penúltimo ano do segundo mandato da ex-prefeita Rosinha Garotinho. Um ano depois, ou seja, em dezembro de 2016 havia já uma perda de R$ 501 milhões, MEIO BILHÃO, não estamos falando em R$ 501 (quinhentos e um reais), e mesmo que fosse, ainda assim teria que ser justificado. Mas como se tem uma perda dessa e não há uma explicação?

O fato de se ter uma eleição nesse período leva o tema para o âmbito eleitoral, e não somente administrativo, mas porque não acreditar que esteva sim relacionado aos investimentos obscuros das eleições municipais o destino dessa grana? Se sim, que se puna e resgate esse dinheiro que é mais do que do cidadão, é do servidor municipal, é do futuro dos servidores, ou deveria ser, porque hoje não há como se garantir nada.

Para piorar, e tive a oportunidade de ver o relatório apresentado pela auditoria apresentada pela empresa contratada pela atual gestão para estudar e tentar encontrar alguns ‘caminhos para os descaminhos’, ainda tem os R$ 804 milhões restantes dos quais, R$ 457 milhões foram investidos de forma no mínimo temerária, em ativos que provavelmente os responsáveis não fariam com seus recursos próprios.

Ora bolas, tem cabeça de jacaré, corpo de jacaré e rabo de jacaré, então é claro que é jacaré. Mas, vamos aguardar o que os gestores falarão, o que as oitivas irão apurar e depois desse prazo de 90 dias, em que se findará com a apresentação de mais um relatório, que quase pode ser feito no sentido inverso, antes mesmo do início das investigações na CPI.

No início de maio deste ano, mas precisamente no dia 02, o Conselho Municipal de Combate à Corrupção iniciou suas atividades com esse sendo o primeiro tema a ser debatido. Compõem o Conselho, além da Câmara Municipal, com o vereador Cláudio Andrade, autor do projeto de lei
8775/2017 que criou o Conselho; a Procuradoria da Prefeitura; a Associação de Imprensa Campista (AIC), o Sindicato dos Servidores Municipais (Siprosep), a OAB/Campos.

A Câmara já realizou outras CPI`s, como a das Rosas e do Fundecam, investigações estas que constataram em seus relatórios absurdos que precisam ter uma ação da justiça …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *