Na geladeira

Ainda durante a entrevista ao Folha no Ar, na manhã desta segunda-feira (22), pelo fato de não ter recebido melhor apoio do prefeito de Campos, em 2018, o deputado João Peixoto disse que ‘de fato esperava mais’, mas destacou o importante apoio do vereador Jorginho Virgílio, que pelo andar da carruagem deve ser apadrinhado e ganhar destaque no DC, deixando, portanto, o PRP, partido que não atingiu a cláusula de barreira na última eleição.

João foi enfático ao afirmar que os dois vereadores do DC na Câmara de Campos, José Carlos e Cláudio Andrade não terão legenda para a eleição de 2020 e ‘vão para geladeira’.

Engraçado foi que em determinado momento da entrevista o deputado foi citar o nome de um assessor e voltou no tempo e acabou citando o nome do vereador que caminhou com ele por longo tempo. “Manda procurar o Zé Carlos, opa, Deus me livre!!!”, e nitidamente o som do estúdio permitiu perceber que bateu na mesa por três vezes levando os apresentadores a risada.

Sobre a citação a seu nome, o vereador Cláudio Andrade declarou: “Ele disse que não há clima para mim e Zé Carlos no partido e que eu devo estar esperando a janela para sair, mas a verdade é que nunca houve clima entre eu e João. Se há clima é baseado em uma análise subjetiva dele. Tanto na gestão passada do DC, como na nova nunca tive qualquer animosidade. Com relação a janela, não estou pensando nisso ainda. Por enquanto, estou focado em meu mandato e nas minhas leis. Pensar em sair do partido ainda não é a minha prioridade”.

O vereador Zé Carlos não foi localizado, mas assim que quiser expor sua posição a respeito, o blog está com o espaço franqueado.

João Peixoto sem voltas

Na manhã desta segunda-feira (22), o deputado estadual João Peixoto (DC) bem a seu estilo, em entrevista concedida aos jornalistas Aluízio Abreu Barbosa e Arnaldo Neto, no Folha no Ar, confirmou sua aliança com o prefeito Rafael Diniz, em Campos, bem como com a prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), visando as eleições 2020.

Ainda sobre o apoio à Rafael Diniz, João Peixoto foi direto quando disse que só não estará com o prefeito se ele não quiser. ‘Uma coisa eu garanto, eu ganho a eleição’, declarou sem a menor modéstia.

“Minha prioridade é caminhar com Rafael, a não ser que a gente não acerte, mas contra não vou ficar. De todos que vejo ai, seria ele (Rafael Diniz). O Caio (Vianna) já ajudei da vez passada. Wladimir já me chamou para conversar, mas não conversamos, foi apenas um encontro na escola no Farol. Rodrigo (Bacellar) sentou perto de mim na Alerj e disse que estão fazendo um bloco para 2020. Se eu der a palavra está dada e pronto. Disse que estou com conversa com Rafael, e depois podemos voltamos a conversar”. “Em São João da Barra minha prefeita (Carla Machado) está eleita”. Ao ser indagado da possibilidade de Carla não poder ser candidata, disse: “Aí a gente pensa”.

Terras arrasadas

Se com os cortes impostos pela crise no setor do petróleo, que levou o município de Campos, por exemplo, a uma perda orçamentária de quase R$ 1 bilhão a partir de 2017, vamos imaginar a cidade sem o recurso dos royalties. Não é loucura dizer que haverá demissão em massa, afetará o atendimento na saúde e educação que já vão mal das pernas, serviços essenciais como limpeza e transporte público que também são radicalmente alvos de críticas no governo Rafael Diniz , terão redução de investimentos. Com o orçamento previsto para 2019 na casa dos R$ 2 bi, o que pensar já para 2020 com uma receita abaixo de R$ 1 bilhão? Vale lembrar, só como primeiro exemplo, que só de folha de pagamento, esse é o valor despejado por ano …

Se em Campos a situação se mostra dessa forma, não é diferente em São João da Barra, Macaé e Quissamã, onde os orçamentos estão fincados em torno de 70% a 80% de dependência das receitas oriundas dos royalties e participação especial. O Governo do Estado, que enfrenta crises assombrosas e chegou ao ponto, por exemplo, de não pagar aposentados e pensionistas em dia, no governo Pezão (MDB), entra o ano com déficit que se aproxima aos R$ 20 bilhões, teria corte na casa dos 40%.

Se hoje não está fácil para nenhum gestor e consequentemente para o cidadão, uma decisão do colegiado no STF tirando esse direito dos produtores seria a confirmação da tragédia anunciada.

.

A história segue …

O assunto que voltou a ganhar destaque e a amedrontar os prefeitos da região há pouco mais de 10 dias foi a partilha dos royalties. No dia 10 de abril, pressionado durante a Marcha dos Prefeitos, em Brasília, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, marcou para 20 de novembro próximo o julgamento sobre a validade das regras de divisão dos royalties do petróleo explorado em Estados e Municípios produtores. Vivemos desde março de 2013 com a liminar da ministra Cármen Lúcia, que na ocasião suspendeu parte da nova Lei dos Royalties do Petróleo aprovada no fim de 2012.

Mais do que discursos e números, as autoridades, neste caso prefeitos, deputados, senadores e em especial o presidente da República que é do Rio de Janeiro, precisam urgentemente se reunir e apresentar os dados que demonstram o arraso, literalmente, que causará uma decisão de partilha estendida a todos os municípios e estados brasileiros.

Vamos debater permanentemente o tema aqui …

519 anos em terra brasilis …

Trago aqui na primeira postagem no blog um destaque ao Cabral. Não gente, calma aí! Não é o governador preso com condenações pra lá de 200 anos, estou falando do português, o Pedro Álvares Cabral. Há quem defenda que na verdade não foi o portuga que descobriu nossa terra em 1500 e que o “Novo Mundo” havia sido povoado milhares de anos antes de Colombo e Cabral, mas esse tema que é defendido por arqueólogos, antropólogos, paleontólogos, filólogos e pesquisadores não vai entrar na postagem, ao menos agora. O tema aqui é outro. Isso é história e essa parece-me estar sendo esquecida por quem deve promover o conhecimento, estamos falando do Descobrimento do Brasil. As escolas (públicas e particulares) não estão tendo em suas atividades comemorativas por qual motivo? Isso não é de agora …

Apresentação

Política, esporte e os principais acontecimentos do Norte Fluminense você acompanha no Lendo Aqui. Uma abordagem informal e contemporânea dos fatos que vão influenciar na sua vida, no seu dia a dia.

Aqui você vai acompanhar entrevistas, reportagens especiais e a voz da comunidade, que interage conosco através de nossas redes sociais. O Lendo Aqui quer ser a sua voz. Vem com a gente!