Reitor do IFF representa o Conif em conferência internacional

O coordenador da Câmara de Relações Internacionais do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Jefferson Manhães, representou o colegiado na conferência internacional “Financiamento vinculado à renda: alternativas para o ensino superior e outras áreas de política pública”.

“Se olharmos os padrões de financiamento dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), o investimento no Ensino Superior do Brasil está compatível com a média internacional, entretanto, o gasto por aluno na Educação Básica é muito inferior, menos de 40%. A solução não é retirar os aportes do Ensino Superior, mas identificar novas fontes para ampliar o financiamento da Educação Básica. Uma solução já é prevista na Meta 20 do Plano Nacional de Educação (PNE): os recursos oriundos da exploração de petróleo e gás que havia sido proposto na criação do Fundo Social”, complementou.

Conif participa de conferência sobre financiamento educacional

IFF vai receber estudantes estrangeiros

O Instituto Federal Fluminense (IFF) passa a integrar o Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G) do Ministério da Educação e Relações Exteriores cujo objetivo é a formação e qualificação de estudantes estrangeiros de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais, por meio de oferta de vagas gratuitas em cursos de graduação. O interessado deve ter entre 18 e preferencialmente até 23 anos, e ensino médio completo.

 O IFF está disponibilizando 26 vagas em cursos de Bacharelado e Licenciatura (Veja o quadro abaixo). A seleção é feita pelos próprios Ministérios que até o final de 2019 devem divulgar o resultado final para que os estudantes comecem a chegar já no 1º semestre de 2020.

 Henrique da Hora, diretor de Internacionalização e Inovação do IFF, destaca o valor do que chama de “experiência da diversidade” e os benefícios para a formação dos próprios alunos do Instituto que terão contato com estrangeiros antes mesmo de chegar ao mercado de trabalho.

 “A gente deixa o nosso aluno exposto a uma diversidade cultural pelos quatro/cinco anos de sua formação. Este aluno estrangeiro vem com a obrigação de divulgar a sua própria cultura; e ele pode ser da África, da América Latina ou da Ásia”, diz acrescentando que “será uma forma peculiar de promover a igualdade entre os povos, o respeito mútuo, e a internacionalização. Estaremos expondo nossos alunos a uma cultura diversa à nossa, o que é excelente para a formação integral de um profissional, além de promover relacionamento com outros países, criando vínculos para além da sala de aula”.

 Saiba Mais: Ao longo de 53 anos o PEC-G tornou-se um dos mais significativos pilares da política externa brasileira no campo educacional. Atualmente, cerca de 100 Instituições de Ensino Superior participam do programa e se encontram matriculados aproximadamente 2.000 estudantes-convênio de 56 países em desenvolvimento, em sua maioria do continente africano. Entre 2000 e 2017 ingressaram por meio de seleção cerca de 300 estrangeiros e em média 200 estudantes se graduam anualmente, com um índice de evasão de 10% (Fonte: Setec/MEC).

Campus Campos Centro
CursoVagas
Bacharelado em Engenharia de Controle e Automação01
Bacharelado em Engenharia de Computação01
Bacharelado em Engenharia Elétrica01
Bacharelado em Sistemas de Informação01
Licenciatura em Matemática01
Licenciatura em Geografia05
Licenciatura em Letras04
Licenciatura em Teatro05
Licenciatura em Ciências da Natureza: Ciências e Biologia, Ciências e Física ou Ciências e Química01
Campus Campos Guarus
CursoVagas
Bacharelado em Engenharia Ambiental02
Licenciatura em Música02
Campus Cabo Frio
CursoVagas
Licenciatura em Física02